China autoriza mais 25 frigoríficos brasileiros para exportação de carnes

11/09/2019

Estabelecimentos poderão vender imediatamente carnes bovina, de frango, de porco e de jumento. Agora são 89 fábricas habilitadas para vender ao mercado chinês, segundo o Ministério da Agricultura.

O Ministério da Agricultura informou nesta segunda-feira (9) que mais 25 frigoríficos brasileiros foram autorizados a vender carne para a China. Com isso, o total de plantas habilitadas para exportação passa de 64 para 89.

Dos novos estabelecimentos autorizados (veja a lista completa no fim do texto), 17 são produtores de carne bovina, 6 de frango, 1 de suínos e 1 de asinino (carne de jumento). As empresas já podem exportar imediatamente.

Segundo o governo, as negociações foram conduzidas pelo Ministério da Agricultura, pelo Ministério das Relações Exteriores e pela Embaixada do Brasil na China.

Os chineses são os maiores parceiros comerciais do agronegócio brasileiro. De janeiro a julho deste ano, o país comprou US$ 1,75 bilhão em carnes. Somando todos os produtos da agropecuária, a China trouxe ao Brasil US$ 16,41 bilhões.

Peste suína
O aumento da procura chinesa por proteínas animais vem crescendo desde o final de 2018, quando uma crise de peste suína africana atingiu o país, que é o maior produtor e consumidor de carne de poroco do mundo.

A doença atinge criações de pelo menos 16 países, de acordo com a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, na sigla em inglês).

Com a oferta menor, os chineses estão buscando outras proteínas para suprir a necessidade da população. No caso da carne bovina, os chineses ajudaram na alta de 14,2% no ano.

A China é também o principal destino das exportações de aves e de suínos do Brasil. Entre janeiro e agosto, o país asiático importou 348,2 mil toneladas de carne de frango (volume 19% superior ao registrado no mesmo período do ano passado) e 133,5 mil toneladas de carne suína (+31%).