CNA debate ações estratégicas para a agricultura irrigada

27/06/2019

A Comissão Nacional de Irrigação da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniu na quarta, em Brasília, para tratar de temas relacionados ao desenvolvimento do setor.

Um dos temas foi a necessidade de revisão da Resolução nº 800/2017, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Essa resolução passou a exigir de produtores rurais irrigantes o licenciamento ambiental e a outorga para os descontos na energia previstos na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

A normativa vai impactar no custo de energia e poderá inviabilizar a produção de várias culturas irrigadas. O presidente da comissão, Eduardo Veras, defendeu a realização de uma audiência pública com a participação de diversos setores para mostrar a importância da utilização da tecnologia de irrigação para garantir a segurança alimentar.

O vice-presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Júlio Cézar Busato, destacou que o setor agropecuário precisa planejar ações para melhorar a imagem perante a sociedade, tendo em vista que os agricultores irrigantes utilizam os recursos hídricos de modo eficiente para garantir a produção de alimentos de qualidade que estão diariamente na mesa das pessoas a um preço acessível.

Outro assunto foram os polos de irrigação. A partir de uma demanda do Governo Federal, a CNA está articulando ações para impulsionar a produção nas regiões de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, e no Vale do Araguaia e Brasil Central, em Cristalina, Goiás.

O assessor técnico da Comissão Nacional de Irrigação, Gustavo Goretti, explicou que a entidade está identificando os desafios dos produtores dessas regiões para elaborar ações que promovem o desenvolvimento da agricultura irrigada, gerando mais emprego e renda.

Ao final da reunião, os participantes assistiram a palestras sobre novas tecnologias e tendências de irrigação localizada no Brasil e no mundo com o gerente geral da empresa NaanDanJain na América do Sul, Alfredo Mendes.

Fonte: CNA Brasil