Preço da banana despenca ao menor patamar em 3 anos no ES

25/02/2019

Foto: Arquivo A Gazeta

O preço do quilo da banana vem caindo de forma acentuada nos últimos quatro anos. Quem plantou a fruta em busca de bons preços na safra 2018/2019 está decepcionado com o cenário atual. Em alguns casos, os produtores chegaram a comercializar a caixa de 22 quilos da variedade prata por menos de R$ 10.

A bananicultura é uma das principais atividades da agricultura do Estado. Ela está presente em mais de 90% dos municípios capixabas de acordo com o Incaper, sendo cultivada por 17 mil propriedades. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, o Espírito Santo colheu 242,8 mil toneladas da fruta.

Com a banana valendo pouco, quem tem hectares do plantio acabou perdendo dinheiro. Enquanto os custos com a produção permaneceram os mesmos ou aumentaram com o passar do tempo, o valor de venda caiu pela metade, e as margens ficaram cada vez mais enxutas.

Nas Centrais de Abastecimentos da Grande Vitória (Ceasa), o quilo da variedade nanica, por exemplo, que chegou a ser comercializado pelos produtores a R$ 2,20, em novembro de 2016. Já no último mês foi vendido, em média, a R$ 0,78.

Essa não foi a única variedade que teve oscilação nos preços. A banana-da-terra, que normalmente tem um valor de mercado maior, chegou a ser comercializada por R$ 1,06 o quilo em março de 2018. Já em janeiro deste ano, sofreu uma leve alta ficando em R$ 1,25 o quilo, porém o preço ainda está bem distante dos R$ 4,41 de junho de 2016.

Entre os motivos que levaram à desvalorização das bananas está o aumento da produção do produto no Estado, que fizeram com que um volume maior de fruta entrasse no mercado.

Quem sentiu na pele a baixa dos preços foram os agricultores de Alfredo Chaves, segundo maior produtor do Estado. Segundo o chefe do CRDR Litoral Sul do Incaper, Alciro Lamão Lazzarini, por ano, o município colhe 42 mil toneladas da fruta.

“A maior parte do cultivo é de banana-prata. O preço da fruta caiu muito nos últimos anos. Em 2016, o produtor comercializava a caixa de 22 quilos, em média, a R$ 21,98. Em 2017, caiu para R$ 16,02. E, no ano passado, não chegou a R$ 10”, diz.

Já um produtor de Viana, 52 anos, que preferiu não se identificar, contou que no ano passado plantou mais de 100 pés de banana-da-terra, mas que, devido ao preço baixo, somado à escassez de água na região, optou por não comercializar o produto. “Tinham frutas muito mais bonitas que a minha no mercado e com valor muito baixo. Minha produção está valendo quase nada”, desabafa.

PREÇO EM BAIXO

NANICA
Chegou a ser comercializada pelos produtores a R$ 2,20 em novembro de 2016. No último mês foi vendida, em média, a R$ 0,78.

TERRA
Em janeiro deste ano, sofreu uma leve alta ficando em R$ 1,25 o quilo, porém o preço ainda está bem distante do patamar de R$ 4,41 de junho de 2016.

PRATA
Em janeiro foi vendida a R$ 1,43 o quilo. Em outubro de 2018 teve o seu pior valor (R$ 0,85). Os preços começaram a cair em março de 2016, quando estava em R$ 2,57 o quilo.

Fonte: Ceasa