10 dicas para melhorar a gestão da sua lavoura de café

21/02/2019

1) Tenha um bom plano

Um planejamento agrícola bem feito pode garantir o sucesso de sua lavoura, da implantação até a venda do café.

É necessário que você conheça detalhadamente a sua área (dados de condições climáticas, análise de solo, produtividade, disponibilidade de irrigação, condição do meio ambiente da região, etc) e saiba qual mercado pretende explorar (commodity, orgânico e cafés especiais).

Com esses dados em mãos e auxílio de um engenheiro(a) agrônomo(a) você poderá montar e seguir um cronograma de suas atividades, aumentando a eficiência e alcançando melhores resultados.

É lógico, dificuldades podem surgir pelo caminho. Mas com um bom plano você será capaz de encontrar as melhores soluções e superar qualquer problema.

Se atente para o fato de que o planejamento contempla a parte agrícola e financeira. Para te ajudar na gestão financeira você pode baixar gratuitamente a planilha de fluxo de caixa aqui.

2) Atenção para a implantação da lavoura do café
A implantação deve ser feita corretamente! Alguns erros nessa etapa só poderão ser corrigidos na renovação do cafezal.

Para começar com o pé direito a sua lavoura cafeeira as dicas são:
I. Realizar as correções necessárias com base na análise de solo da área;

II. Preparar o solo e ter bem definido o tipo de colheita, se mecânica ou manual, pois isso irá determinar o espaçamento da lavoura. Atenção quanto ao espaçamento, já que você deve ter em mente se irá optar pela lavoura convencional ou adensada (se em uma área comporta 3 mil mudas, na adensada esse número pode ser até 5 vezes maior);

III. Orientar o plantio de acordo com o relevo e a exposição ao sol;

IV. Realizar corretamente a adubação no sulco/cova. É o momento de adicionar nutrientes em profundidade para o café;

V. Escolher cultivares de café resistentes à ferrugem, o que evitará gastos com o controle dessa doença neste ano e nos anos futuros;

VI. Outro fator importante, é ter atenção e treinamentos adequados quanto à sua mão de obra.

3) Conheça sua lavoura de café
A ideia aqui é mostrar a importância de se monitorar a lavoura, coletando o maior número de informações possível.

Dados climáticos, análises de solo e folha, incidência de pragas e doenças, produtividade, tempo até a colheita…e por aí vai.

É ideal monitorar cada talhão individualmente no dia a dia da lavoura.

Com o passar do tempo teremos um histórico detalhado do cafezal que definirá ações de manejo como adubação, aplicação de defensivos, podas e renovação.

Isso se traduz em maior eficiência de uso de recursos e dos tratos culturais.

4) Atenda a demanda do seu café
A época de maior demanda por energia e nutrientes é durante a fase reprodutiva do café.

Ao mesmo tempo em que está frutificando, o cafeeiro também está produzindo folhas, ramos e raízes que serão responsáveis por nutrir os frutos da safra seguinte.

A dose aplicada deve atender a demanda do cafeeiro e ser embasada na análise de solo, foliar, além da expectativa de produção agrícola.

Os nutrientes devem estar disponíveis em quantidades adequadas no início da fase reprodutiva. Sendo assim, a adubação deve ser antecipada a esse período.

5) Fique de olho na incidência de daninhas, pragas e doenças
As condições ambientais e a época em que cada praga/doença é favorecida e causa maiores danos já são bem conhecidas. O mesmo vale para as daninhas.

O produtor precisa monitorar antecipadamente para na infestação crítica tome as devidas ações de manejo.

No caso das plantas daninhas, embora não elimine o uso de outros métodos de controle, recomenda-se o uso de plantas de cobertura na entrelinha. Além de reduzirem a incidência do mato, controlam a erosão e reduzem a temperatura do solo.

Com monitoramento e seguindo o cronograma corretamente obtém-se melhor controle, reduz-se gastos desnecessários, tornando o sistema mais lucrativo, sustentável e produtivo.

6) Capriche na colheita! E varra toda a sujeira…
A dica é monitorar cada talhão, mantendo um histórico de produtividade da área, do tempo até o ponto de colheita e, se possível, da qualidade.

Assim, você será capaz de planejar melhor a colheita, evitando problemas de logística e colhendo no ponto certo.

Outra questão importante é a eficiência do processo de colheita.

Todos os frutos devem ser retirados do pé, fazendo repasse quando necessário e varrição dos frutos caídos no solo.

Colheita e varrição bem feitas reduzem as perdas e diminuem de infestação de broca na safra seguinte, sendo uma medida importante no controle dessa praga.

Como vimos, a colheita pode maximizar o potencial de qualidade do café ainda no campo e tornar a próxima safra menos problemática.

Mas o trabalho não acaba aí. Agora temos que tratar corretamente de todo esse café colhido…

7) Tome uma decisão consciente sobre o grão colhido
Temos um leque de opções para decidir o que fazer com café recém colhido.

Não existe uma única receita certa!

Para o objetivo de cada produtor, para cada lavoura ou lote, a melhor opção a se seguir pode ser diferente. Afinal, mesmo lote de café pode gerar bebidas diferentes se processado de maneira distinta.

Por isso é tão importante o planejamento!

Com base no histórico de cada área, na infraestrutura da propriedade e sabendo-se o mercado que se deseja explorar, você poderá decidir por uma ou outra técnica de processamento do café, escolhendo aquela que melhor atende os seus objetivos.

8) Conheça suas ferramentas: o manejo de podas da lavoura de café
Após a colheita e decisão de processamento, a poda é a atividade da lavoura de café que devemos prestar atenção.

A poda é uma importante ferramenta para auxiliar os produtores de café. Como qualquer ferramenta, ela deve ser usada do modo correto para que se obtenha os melhores resultados.

Cada tipo de poda tem uma finalidade distinta. Eles também diferem entre café arábica e café conilon.

Devemos avaliar cada talhão e agir somente quando necessário, pois dependendo do tipo de poda, a lavoura só voltará a produzir café no segundo ano após sua realização.

A época de realização também é importante. A pesquisa mostra que quanto mais próximo após fim da colheita forem realizadas as podas, melhor será a recuperação da lavoura de café.

9) Devo renovar a lavoura de café?
Essa pergunta deve ser respondida avaliando o histórico individual do talhão, especialmente para cafezais mais velhos.

Vale a pena manter cafezais com bons índices de produtividade, do contrário a renovação se faz necessária.

Lembre-se que a área renovada só voltará a produzir após o terceiro anoaproximadamente e por isso a decisão deve ser bem fundamentada.

Por isso, tenha em mente a sua gestão de custos e todas as informações das últimas produções de café, além do orçamento de quanto ficará a renovação da lavoura de café.

Comparando essas informações você saberá se compensa ou não a renovação.

10) Gestão de risco: a venda do café
O levantamento mais recente feito pela CNA indicou que mais de 60% dos cafeicultores optam por vender o café no momento da colheita ou armazenam para vender no mercado físico.

Nesse caso, corre-se o risco excessivo de perder dinheiro caso o preço pago pelo café na época da colheita estiver em baixa .

Uma forma de minimizar o risco é fazer a venda no mercado futuro.

Como o preço é fixado antecipadamente, o produtor já sabe exatamente quanto vai receber independentemente do mercado.

A dica é fazer a venda futura para a maior parte da sua produção de café, mas guardar uma parcela para vender no mercado físico, para o caso de o mercado estar em alta.

Conclusão
Como você pôde conferir, uma gestão bem feita aumenta as chances de sucesso da lavoura de café permitindo alcançar melhores resultados desde o campo até a xícara.

Na agricultura sempre podemos interferir para melhorar o sistema. Até mesmo quanto ao clima, melhor do que “combinar com São Pedro” é ter um planejamento e uma boa gestão, os quais permitem alguns atrasos e modificações, garantindo a sua lavoura.

Isso permite que as ações de manejo sejam as mais adequadas para cada situação, aumentando a eficiência de uso dos insumos e fazendo com que seu tempo e esforço produzam os melhores resultados.

Fonte: Blog Aegro- Lavoura 10