Novo sindicalismo pauta encontro entre lideranças capixabas e CNA

14/09/2018

CNA esteve na Federação da Agricultura do ES para apresentar ações e debater assuntos de relevância para o setor agro

Presidentes dos Sindicatos Rurais capixabas se reuniram, na tarde desta sexta-feira (14), com representantes do agro de Brasília, na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do ES (Faes), em Vitória. Em pauta o novo sindicalismo rural e ações da CNA.

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, o diretor-geral do SENAR Brasil, Daniel Carrara, o superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi e o coordenador do departamento Sindical da CNA, Wilson Brandão Júnior foram recebidos pelo presidente da Faes, Júlio Rocha e pela superintendente do Senar-ES, Letícia Toniato Simões.

O presidente da CNA João Martins ressaltou que os produtores rurais são os responsáveis pelos grandes resultados do agronegócio, sendo segundo setor com maior expansão de vagas de emprego e que concentra 32% da mão de obra. Elogiou a principal produção econômica do Espírito Santo, a cafeeira, e destacou o papel singular que os Sindicatos Rurais tem a desenvolver. “Nosso patrimônio vem da força proveniente da base de produtores e sindicatos, que juntos somamos mais de 2 milhões no Brasil”.

O diretor-geral do SENAR Brasil, Daniel Carrara, destacou o novo sindicalismo, em que ocorrerá a reciprocidade com o produtor que está junto do Sistema. “Paramos para pensar: capacitamos tanto, porque não dá certo? Com isso fizemos um elo, juntamos a formação profissional com o Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), transferindo tecnologia aos produtores. Metade deles acreditam no Sistema ao realizar a contribuição sindical facultativa, então nosso foco é voltar a nossa atenção em quem acredita no futuro do campo”.

As ações desenvolvidas pela CNA foram apresentadas pelo superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi, que comentou sobre os avanços do Código Florestal, e como ele garante segurança jurídica e não gera dúvidas aos agricultores. Além da Lei da Mata Atlântica, que propõe pagamento por serviços ambientais. “Um grande avanço que podemos destacar, que tem foco nos pequenos produtores é a Lei do Produto Artesanal que agora foi aprovada, só necessita ser regulamentada. Além do programa Mulheres do Agro, que prepara as mulheres para alavancarem sua participação no meio rural com gestão e capacitação profissional”.

Para o produtor rural engajado com o Sistema, a nova plataforma da CNA: Bem + Agro, renderá vantagens. “Ao participar das ações do Sistema, o produtor acumula ‘moedas’, que renderão benefícios, como descontos em passagens aéreas, compra de pneus e veículos, aplicativo de transporte privado, livraria e outros”, disse o coordenador do departamento Sindical da CNA, Wilson Brandão Júnior.

Os presidentes de sindicatos presentes tiraram dúvidas e puderam conhecer de perto qual o alinhamento da Confederação para com as Federações dos Estados.


Fonte: Iá! Comunicação