Com reinvenção tecnológica, campo fica mais atrativo para jovens

17/07/2018

Este novo cenário está transformando o produtor rural em um empresário do campo. Além de aumentar a eficiência e a velocidade de toda cadeia produtiva, a adoção de inovações está facilitando o processo de sucessão rural – este, um dos grandes desafios do setor.

Atualmente, mais de 67% das propriedades agrícolas no Brasil já adota algum tipo de tecnologia, segundo a Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP). O dado mostra que os produtores têm buscado soluções para auxiliar no controle da lavoura e no desempenho da produção animal, atendendo às novas demandas do segmento.

E se por um lado o produtor se mostra aberto à vinda de novas tecnologias, do outro existe uma nova geração ávida em aprimorar seu conhecimento e agregar novas técnicas à produção familiar. Novas tecnologias de sensoriamento remoto, por exemplo, são disruptivas em relação aos processos manuais de manejo - e estimulam estudantes e produtores.

Na produção animal, por exemplo, sensores monitoram dados sobre o desempenho animal, com diagnósticos de perdas ou desvios, beneficiando a avicultura, bovinocultura de leite, suinocultura e piscicultura. As correções são feitas em tempo real. O sensoriamento remoto vai além da automação e embarca conceitos de Internet das Coisas, Machine Learning, Big Data e Inteligência Artificial. Estas inteligências otimizam a produção, trazem ganhos de velocidade e geram análises preditivas, aumentando a competitividade tanto para o produtor quanto para a agroindústria.

O gerenciamento completo e online da propriedade também se reflete em ganhos. Ele permite que o produtor controle e reduza seus custos diretos e indiretos. Ainda, contribui para o planejamento dos próximos ciclos de safra, já que suas atividades e decisões são baseadas em históricos e análises feitas a partir de um grande volume de informações armazenadas, que cruzam dados em tempo real.

Este controle favorece também o desenvolvimento de parcerias para novos investimentos e reforça a relação do produtor com a agroindústria, uma vez que ele se mostra cada vez mais preparado profissionalmente. Tal preparo é ainda mais importante no cenário brasileiro, em que recordes de produção de grãos são batidos a cada ano. Segundo dados da Expedição Safra, a produção brasileira de soja 2017/18 driblou as adversidades climáticas e estabeleceu um marco de 116 milhões de toneladas.

É por conta desses ganhos que a informação de relevância, segura e rápida se tornou o bem mais valioso do agronegócio. É ela que vai determinar o futuro da atividade, trazendo a nova dinâmica da economia digital ao agronegócio brasileiro. E toda esta reinvenção tecnológica está despertando o interesse dos jovens pelo campo e na continuidade do negócio familiar. A tecnologia se tornou, portanto, uma importante aliada desta transição.

Por Almir Meinerz*

*Almir Meinerz é presidente-executivo da SPRO IT Solutions, empresa especializada em estratégias de negócio e de tecnologia.

Fonte: CNA Brasil