Café de Pedra Azul, ES, com saca vendida a R$ 39 mil vence concurso nacional de café especiais

08/01/2018

O café arábica que venceu o “Cup of Excellence Brazil 2017”, o concurso mais importe de cafés especiais no país, é produzido na fazenda Camocim, em Pedra Azul, Região Serrana do Espírito Santo.

O produto conquistou quase 94 pontos, e a saca foi vendida a R$ 39 mil em dezembro de 2017. A natureza tem grande participação nesse sucesso: a lavoura do café premiado é agroflorestal, orgânica, biodinâmica.

“É o conceito de preservação, de dar vida ao solo. Dentro da biodinâmica, a gente constrói uma poupança de fertilidade. Adubar não é só repor nutrientes, é dar vida para o solo, para que ele possa dar alimento à planta”, explicou a agrônoma biodinâmica Roberta Tressman.

“É um esforço em conjunto. Desde o cara que colhe até o trabalho em laboratório. É um esforço comunitário aqui na fazenda”, afirma o produtor Henrique Sloper.

A colheita é feita de maneira seletiva. Os grãos só são retirados do pé quando estão completamente maduros e vão direto para a estufa.

“É mais crítico, mais demorado, mais difícil de fazer, depende de condição de tempo, de estrutura”, disse o produtor Henrique Sloper.

Devido às variações de clima na região de Domingos Martins, onde fica Pedra Azul, o café natural começou a ser produzido na fazenda Camocim apenas há três anos, e a quantidade ainda é pequena.

A saca do café premiado foi vendida em um leilão, no dia 7 de dezembro de 2017, por R$ 39 mil. É o maior valor pago por um café natural no mundo, segundo a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA).